sábado, 31 de maio de 2008

O Nando e a Nana resolveram lançar a proposta da blogagem e eu (e mais 101 blogs) acatei de imediato:






Hoje, dia 31 de Maio, é o Dia Mundial Sem Tabaco. Parece bobeira criar um dia como esse, talvez muitos pensem que é impossível colocar na cabecinha dos fumantes a importância (negativa) que o tabaco tem para os não-fumantes. Será mesmo? Bom, não sei se os nossos posts vão mudar a cabeça de alguém, mas não duvido disso. Já vi gente parar de fumar por muito menos. O meu pai, por exemplo. =)

Deixa eu contar a história desde o começo, então. Meu pai e minha mãe eram fumantes, fumavam desde a adolescência, aquela idade onde todo mundo faz e acontece para os outros, nunca para si. Acho que eles começaram a fumar com uns 15 anos de idade, na época era tudo muito normal, quase todo mundo fumava, não era feio nem se falava em doenças causadas pelo tabagismo. Na verdade, foi na década de 60 que começaram os primeiros relatórios médicos relacionados a doenças desenvolvidas pelos fumantes que fossem causadas pelo tabaco, e bem depois disso as relcionadas ao fumante passivo. Mas voltando aos meus pais, acredito que mamãe fumou durante a gravidez, fumavam quando éramos pequenas, eu ainda lembro bem. Meu pai chegava a fumar três maços por dia. Para os não-fumantes: vocês sabem o que isso quer dizer? Que meu pai fumava uma média de 60 cigarros por dia! Isso dá uma média 90 mg de nicotina e 9 a 12 g de alcatrão (você não leu errado, são 12 gramas mesmo!), e como todo mundo sabe essas são as substâncias mais maléficas encontradas no cigarro. Eu acho que não preciso enumerar aqui os danos causados por alcatrão e nicotina no organismo, todo mundo está careca de saber que não faz bem nenhum. Só queria lembrar uns dados que eu acho interessantes:

- Vocês sabiam que a nicotina é usada como pesticida? Se ingerida, dependendo da quantidade, pode causar vômito, náusea, dor de cabeça, dor de estômago, dificuldade para respirar e até a morte. Crianças pequenas são as maiores vítimas desse tipo de envenenamento, pois têm acesso fácil à bitucas de cigarro, colocam na boca e acabam comendo mesmo.

- 60 miligramas de nicotina, se absorvidos completamente pelo corpo, são capazes de matar um homem adulto! Isso só não ocorre quando se fuma porque só cerca de 3% da nicotina inicialmente inalada permanece no corpo, após alguns minutos. É essa baixa no nível de nicotina no sangue que faz com que os fumantes tenham essa necessidade de acender um cigarro atrás do outro.

- Alcatrão, na verdade, é um conjunto de partículas sólidas orgânicas e inorgânicas, presentes no fumo. Entre os seus compostos estão 43 substâncias cancerígenas, como o arsênico, níquel, chumbo, etc.

Pois é tudo isso e mais um pouco o que um fumante coloca para dentro dos pulmões, ao inalar a fumaça do cigarro. Isso sem contar o que coloca no pulmão dos outros, os fumantes passivos, que acabam tendo tantos problemas quanto o ativo. Fora que é extremamente desagradável fumar por tabela.

Voltando à minha história, eu nunca gostei do cheiro do cigarro, a fumaça me dava enjôo e dor de cabeça. Sempre impliquei com meus pais porque eles fumavam, pedia para pararem, mas o tabagismo não é vício fácil de se suspender. Um dia, no alto dos meus quatro anos de idade e várias tentativas frustradas, eu pedi mais uma vez para o meu pai parar de fumar. Nessa idade eu ainda chupava chupeta (é, era criança mas também tinha os meus vícios), então papai propôs uma troca: ele parava de fumar sim, se eu parasse de chupar chupeta. Ele conta, com um misto de orgulho e divertimento e um tantinho de saudade, que eu sei, que quando me fez essa proposta não acreditava que eu conseguiria passar uma noite sequer sem minha chupeta. Eu tinha só quatro anos e chupava a bichinha desde que ainda nem me entendia por gente. O que passou na cabeça dele foi: "assim que ela chorar pedindo a chupeta eu acendo um cigarro". Pois ele está esperando meu choro até hoje! Não foi naquela noite, nem na próxima, nem na próxima. Na verdade eu não me lembro se senti saudades, mas prefiro acreditar que o vício dele me incomodava mais do que eu me importava com o meu. Nunca mais pedi minha chupeta, e o meu pai, não querendo quebrar o pacto comigo, parou mesmo de fumar. Mesmo. Nunca mais acendeu um cigarro. Ele diz que até hoje sente falta, para vocês verem como o vício é caso sério, já que isso tem quase vinte anos, mas convive bem com a falta do cigarro. Aliás, está muito melhor sem ele! Mamãe parou um ano depois, por conseqüência de uma cirurgia que ela fez na garganta, não podia fumar durante a recuperação então resolveu parar de vez, e também conseguiu.

Eu sei que não é fácil parar, para algumas pessoas é mais difícil que para outras. Mas não é impossível, também. E se o apelo de uma criança de quatro anos pôde fazer um marmanjo largar o cigarro, porque essa iniciativa não poderia? Eu acredito seriamente que sim! =)
------

Parabéns Nando e Nana pela coletiva! beijos.


9 comentários:

Leandro Neres disse...

Bonita a tua história... Quando as questões envolvem familia sempre emocionam...

Fico feliz por teus pais...
Meu pai ainda fuma...
Mas entendo que não é fácil mesmo...

Tetê disse...

Fumar está completamente fora de moda, não? Precisamos apagar essa idéia! Muito bom o seu post! Também aderi à campanha! Bjks e bom domingo. Tetê :)

Adriano Caroso disse...

Tudo que eu quero agora é parar de fumar. Estou tentando e vou conseguir!

Mel disse...

Como vai, Lorena?
Estou passando para ver os posts sobre o tabaco. É muito bom ver tanta gente na luta!
:)
Bjs

Éverton Vidal disse...

Simplesmente um dos melhores textos da campanha. Parabéns Lorena, sempre cheia de verdade e eqilíbrio.
Inté!

NANDO DAMÁZIO disse...

Uia, e não é que agora eu fiquei mais animado ao ler este seu texto ??

Agora já são 120 blogs inscritos e se pelo menos uma pessoinha parar de fumar por causa disso, pra gente que participou será a glória !!

Seu pai é um herói por ter conseguido se dominar tão bem, e isso graças à um inocente vício infantil, rs* ..
Brigadão pela colaboração, Lô !!
Abração !!

Georgia disse...

Muito legal a sua história da chupeta e o cigarro do seu pai.

Parabéns aos dois.

Boa semana

NANA disse...

RSrsrs...
Chega a ser um pouco engraçada a forma como seu pai parou.
Eu peço há uns 20 anos que minha mãe pare e ela nada... =/
Lorena, foram v e + 107 blogs participando =)
Beijos

tiago.augusto disse...

Acho q a coisa q eu mais odeio nessa vida é o cigarro, que eu vi agir até as últimas consequências...

E ontem mesmo eu fiquei revoltado com um cara q tava fumando na minha frente a ainda por cima jogou a guimba na grama: além de tudo, eles não têm consciência ecológica nenhuma!

muito bom o texto e a campanha! ;-)
bjo! o/