segunda-feira, 23 de junho de 2008

Viva São João!

Amanhã, dia 24 de Junho é dia da festa popular que eu mais gosto: é dia de São João, dia de festa junina, de fogueira, quadrilha, quitutes e forró. Pra mim não tem Carnaval que desbanque o lugar do São João na festa popular mais bonita do Brasil. Até porque Carnaval tem espalhado pelo mundo todo, mas festa junina de verdade eu só conheço a brasileira! (Diz a Wikipédia que em alguns países da Europa ela também acontece, mas duvido que seja animada como aqui).

No aniversário de um ano eu já brincava o São João.

Tudo bem que a origem da festa é européia: marcava o solstício de verão no hemisfério norte. Sim, é uma festa pagã e, como quase toda festa pagã, foi incorporada pela igreja que deu o dia em homenagem a São João Batista. Na comemoração pagã, casamentos e grandes banquetes eram realizados nesse dia. Isso porque o solstício de verão marca o início da época fértil do ano, o verão e a primavera. Então era comum os povos comemorarem agradecendo aos deuses a abundância que a terra dava e celebrando a fertilidade. Hoje brincamos de casamento, dançamos e comemos comidas típicas (feitas daquilo que nossa terra dá), o que não deixa de ser um ato de ação de graças às alegrias e víveres que recebemos. Hoje em dia a festa junina (que era chamada joanina originalmente, por causa do nome do santo) incorporou traços e costumes dos outros povos que viviam aqui, como negros e índios. Cada um contribuiu com elementos culturais próprios para o que temos hoje na nossa festa.


Eu sempre adorei essa época do ano, acho que porque nasci "vizinha" de São João, a festa está presente na minha vida desde que me entendo por gente. Vestir de caipira, dançar quadrilha, pular fogueira, soltar bombinha, subir no pau-de-sebo (mentira, nunca subi, mas sempre ficava embaixo torcendo pra alguém conseguir pegar a prenda), brincar de pescaria e roleta, comer canjica, bolo de milho, amendoim (o cozido, que aprendi a amar no nordeste), beber quentão... Acho que não há festa no mundo que supere a alegria que essa me proporciona. Quando era pequena eu dançava quadrilha na escola, e na vila que minha vó mora existe uma festa de São João bem tradicional. Quando mudei pra Bahia e conheci a tradição forte do São João no nordeste, fiquei ainda mais encantada pelos costumes e folclores que cercam essa data. Lá realmente é mais importante que qualquer outra comemoração, ainda mais importante que o Natal. É comum as escolas darem férias nessa semana, para que as famílias possam se reunir e comemorar "como se deve", com todo mundo reunido! Lá aprendi a andar por ruas e ruas enfeitadas por bandeirolas coloridas sem me deslumbrar com elas; a ter várias fogueiras ardendo na minha rua e pessoas rindo e se divertindo em volta de todas (na Bahia é comum cada família fazer uma fogueira em uma semana do mês de Junho, e convidar as famílias vizinhas); a assistir e dançar quadrilhas improvisadas, que vão acontecendo assim, bem naturalmente; a chamar canjica de mungunzá, curau de papa e a comer amendoim cozido...

Hoje sinto falta de não poder mais participar como eu participava antigamente. Aqui as festas de rua não são muito comuns, nem na igreja elas acontecem. Quando tenho a oportunidade, eu vou na que é organizada na universidade. Lá eu encontro fogueira, canjica e forró. Mas o sabor da tradição parece que ficou lá no nordeste, por isso sinto saudade de estar lá nessa época do ano. Ou na minha infância, o que acende a nostalgia natural que já me ronda na proximidade do meu aniversário. Mas São João não é época de ficar triste! Vou comemorar como der, nem que seja assando meu próprio milho e cozinhando meu próprio punhado de amendoim! O importante é no final agradecer as coisas boas que eu recebi no último ano e espantar pra bem longe as coisas ruins. E meu coração de jeca ainda vai terminar o dia cantando a cantiga que aprendi ainda pequena:

Capelinha de melão
É de São João
É de cravo, é de rosa
É de manjericão

São João está dormindo
Não acorda, não
Acordai, acordai!
Acordai, João!


7 comentários:

Bruno Vox disse...

Tenho um trauma de São João, fui Rei duas vezes na minha escola(quando eu era pequeno), mas eu era(ainda sou) tão timido que fiquei paralisado, e não participei da festa.


p.s: Vou colocar seu blog no Croncias do Vox.

DrummerChick disse...

E seu b-day é quando???

Lorena disse...

Bruno: nunca fui Rainha do Milho, ô decepção! Mas adorava participar, mesmo assim.
Já tô te adicionando tb.

Pri: depois de amanhã, Pri...

Susanna Martins disse...

Que boneca llindaa!!! (rs)
Tá linda na fotoo!!!

As quadrilhas da escola é mto bom, tem toda uma inocência de brincadeira de roda!!

São João bom demais!!!

Leandro Neres disse...

... :)

Bjs

Leandro

Francine Esqueda disse...

Eeeeeeeeeeee! Viva São João!
Que fofura voce era!! Lembra a doce menininha do seu perfil, seu jeito de hoje e a maneira como conta suas historias...
Boas festas juninas!
Beijos com saudades!

DrummerChick disse...

DESCOBRI SEU SEGREDO!!! ^^