sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Escrevendo

"Não me lembro mais onde foi o começo, foi por assim dizer escrito todo ao mesmo tempo. Tudo estava ali, ou devia estar, como no espaço-temporal de um piano aberto, nas teclas simultâneas do piano. Escrevi procurando com muita atenção o que se estava organizando em mim e que só depois da quinta paciente cópia é que passei a perceber. Meu receio era de que, por impaciência com a lentidão que tenho em me compreender, eu estivesse apressando antes da hora um sentido. Tinha a impressão de que, mais tempo eu me desse, e a história diria sem convulsão o que ela precisava dizer. Cada vez mais acho tudo uma questão de paciência, de amor criando paciência, de paciência criando amor."

Clarice Lispector



------


Eu tenho escrito muita coisa de dentro pra fora, muito mais do que de fora pra dentro. Sei que isso às vezes confunde quem lê, porque quem lê não sente e não é o que eu sou (ninguém é nem sente como o outro). A verdade é que me exponho cada dia mais nesse "canto iluminado" que é o meu blog e ainda não parei pra pensar o que isso acarreta pra mim, e nem pra quem me lê. Mas escrever tem sido terapêutico. Faço histórias sobre os outros que sou eu mesma e acabo achando respostas nas minhas próprias palavras. A história se faz, dentro e fora e de novo dentro. E no final me faz bem.

Espero que faça bem também a quem lê.

--------



PS: volto com textos menos introspectivos logo, logo. =)


PS2: Clarice SEMPRE me lê; não posso, não tenho como não ser fã. =)


7 comentários:

Leandro Neres disse...

Intro ou extro vou continuar lendo e acompanhando, pq muitas de suas verdades que só são suas acabam nos ensinando e trazendo luz para verdades em mim que ainda não me tinham sido reveladas... Viajei mais que o John, mas é isso aí... rs
Bjs

Su disse...

Pode ter certeza que faz muito bem pra quem lê... bom, eu me sinto muito bem ao te lê!
Beijão, Flor!!!!!

Camila disse...

É verdade, todos e sentimos diferente, mas, às vezes, encontramos quem sente bem parecido, ou tem aqueles pensamentos siameses que foram separados por maldade. E eu me encontro na Clacice, me encontro em você e até em mim também. Mas sempre acabo me peredendo de novo. E é esse ciclo vicioso que nos prende a tantos sentimentos diferentes e pradoxais.

Vim aqui hoje e, perdida em seus pensamentos, me encontrei.

Beijos!!!

Du disse...

Lô, hoje eu ia pra casa e começou a tocar no rádio uma música que eu nunca tinha ouvido antes e nem sei por que, lembrei de você na hora! Cheguei em casa e fui para o computador procurar, só reconheci a voz da Marisa Monte, achei que era um dueto com Mercedes Sosa, mas não era. Finalmente encontrei no you tube! A música é linda demais, daquelas que a gente ouve pela primeira vez e se apaixona... Já aconteceu isso com você alguma vez?
O nome da música é "Ilusion", da Julieta Venegas (mexicana) em dueto com Marisa Monte...
Se você ainda não ouviu, vai de presente pra você, dá uma olhada e vê se gosta. Tô tentando conseguir em mp3 =/

http://www.youtube.com/watch?v=U-Wdz25APqY

Ah, Clarice Lispector é minha musa das palavras! \o/

Beijão, que você tenha um final de semana iluminado de amor e paz!

Leandro Neres disse...

http://nosso-cotidiano.blogspot.com/

Encontrei teu selo estacionado por este blog, achei mto bacana isso! rsrs

Vidal disse...

Eu entendo isso LOrena. Quantas vezes me sinto nu ao ler meus textos. Me sinto totalmente exposto em alguns textos...

Letícia disse...

Lorena,

Entendo quando diz que fala sobre si mesma nos textos, mas aí é o segredo que o escritor esconde até da própria mãe. A gente se explora quando escreve. Abre tudo. Sentimento guardado, sentimento que não existe e outras coisas mais. Não leio seus textos pensando em você ou talvez com a mórbida curiosidade em saber se vc tem segredos ou não. Eu leio como quem lê Clarice Lispector. A leitura pela leitura e assim, encontros outras palavras e conheço outra forma de dizer Trem ou Algodão Doce. Todo escritor, na minha opinião, é introspectivo quando cria. A gente - já me considerando escritora também - abre nosso baú interno e pronto: Escreve o que se chama de texto ou livro.

Pode trazer o que for e continuarei lendo.

Bjs.