quarta-feira, 9 de julho de 2008

Minha obra

Desde ontem que sinto uma urgência enorme de escrever e não consigo; penso, penso e não sai nada; ensaio uma crônica e não termino; ensaio um conto e nem começo; nem ouso ensaiar um poema... Mas a necessidade de escrever alguma coisa continua, continua. Pensei que talvez assistir ao meu filme diário me fizesse ter alguma idéia, mas por mais que os olhos de Bette Davis sejam tudo mesmo que todos dizem, e A Malvada ser uma obra de arte (ah, o cinema clássico), suas palavras em nada me inspiraram a obter as minhas próprias. Não consegui saber o que escrever.

Em compensação, o frio me inspirou, não a escrever, mas a tricotar. As noites estão particularmente frias por aqui. Fiquei sabendo que hoje pela manhã, bem cedinho, chegamos aos 4º graus (imagina, o mínimo que já peguei em minha vida toda!), e agora não sei, mas acho que estamos beirando uns 12º... Tremo tanto que acho que vou acabar batendo a mesma letra umas três vezes (se acontecer, me perdoem). Então, resolvi tecer alguma coisa, já que tenho lã e agulha de croché, e sei o básico e sou capaz de inventar o resto, resolvi tecer um cachecol para o meu urso de pelúcia. Ah, sim, eu tenho um urso de pelúcia. E não, você não está enganado (a), eu realmente tenho 23 anos, ou pelo menos é o que a minha certidão de nascimento diz.

Então, enquanto ouvia, mais que via, Bette Davis e Anne Baxter (magistrais. Já disse que A Malvada é uma obra prima?), comecei a correntinha inicial, como se começa todo croché... Comecei entralaçando a linha, tecendo os nozinhos, uns nos outros, até que a corrente ficasse grande o suficiente para enrolar no pescoço do urso. Ótimo, o básico eu sei desde que tinha uns 7 anos, pensei eu, agora vamos ao resto. Comecei a invencionisse dos pontos, trançava de uma forma que achava que ficaria bonito, mesmo que nunca tivessem me dito pra fazer daquela forma, eu gostava de trançar assim. Minha mãe me ensinou alguns pontos, eu lembro pouco, porque sempre gostei mesmo foi de inventar. Aí fui trançando, sem olhar pra trás, fui amarrando um no outro sempre em frente, sempre em frente... Quando dei por mim estava no final da corrente mais uma vez. Daí fui olhar pra trás: estava horrível. Uns pontos grandes, outros pequenos, com certeza contei três casinhas quando devia ter contado duas, lacei mais de uma vez no mesmo ponto, e ficou uma coisa feia e de mal-gosto. E por isso mesmo eu gostei, porque "gosto do modo carinhoso do inacabado, do malfeito, daquilo que desajeitadamente tenta um pequeno vôo e cai sem graça no chão" (eu nunca canso de citar Clarice). Gosto da não-perfeição, porque é autêntica. E eu gostei do pequeno cachecol que fiz para um urso de pelúcia não passar frio; é uma coisa inútil, por princípio, mas ainda assim é obra minha e eu gostei.

E no final acabou rendendo um texto, que pode ter sido feito às pressas, tecendo palavras soltas de forma grotesca, sem nenhuma finalidade real e o resultado pode ter sido de mal-gosto; mas é obra minha, e por isso eu gosto.









Harminy e seu novo cachecol.


18 comentários:

Leandro Neres disse...

Fez-me rir sozinho de ternura e carinho ao ver teu ursinho com seu cachecol =)
Seu croché é um poema, e sua imperfeição que te constrói poetiza a cada linha. Eu gosto de sua imperfeição, você é poema.
Bjs
Leandro

NANDO DAMÁZIO disse...

Há que se ter amor à cria ..
O cachecol não foi inútil, dele surgiu um texto gostoso de ler !!


Lembra daquele teu comentário sobre minha "capa de cd", onde você diz que gosta de bandas irlandesas ?? Pois é, eu também .. Conhece The Cranberries ?? Simplesmente a-mo !! =D

Francine Esqueda disse...

Lorena... Porque é sua eu também gosto!!! Amiga Losteira!!!!
Nem imagina o quanto é bom ler seus comentários! Agora estou de férias e volto caprichando nas minhas visitas e nos meus posts... Me aguarde!
Voltarei bem mais aqui!
Beijos e bom dia!!

Ah, Vá visitar meu novo blog:
"TERAPIAS EXPRESSIVAS"... Tudinho feito por mim!

Francine Esqueda disse...

Também nao me canso de citar Clarice... Me identifico demais... sinto, penso, ilusiono e idealizo... Clarice é demais!
Beijos

Susanna Martins disse...

Sem graça??! De mal gosto??!!
Tá nada, ficou foi muito lindo!!!

Achei lindo a maneira que vc usou para ir descrevendo a forma de como começou o texto. Na realidade temos é tudo isso mesmo. Às vezes passamos por umas crises que fica difícil escrever algo, eu acho que tô com "crise de escritor" tbm... mas vai passar!!
Pultz Lô, seu texto ficou lindo!!!
Beijooos

Du disse...

Tudo muito lindo e perfeito. O texto como um todo, croché (tô terminando um cachecol pra Juliana!), urso de pelúcia (que eu também tenho - um panda)e Clarice, eterna Clarice, minha musa das palavras!
É muito gostoso vir aqui e ler seus textos, é um alento pra minha alma.

Beijão querida!

Thais disse...

Ai Lóris que fofura! Tô curtinho daqui suas férias! Imaginando vc pertinho da sua família (li um comentário seu no Bilhetes que me fez deduzir isso :P) e sendo você, tão fofa!!

Lindo texto, tão cuidadoso (:

Luciana disse...

Lorena gostei do blog e mmais ainda do post beijos

Amigao disse...

Eu fiquei imaginando o texto que sairia se ao mesmo tempo vc digitasse e tecesse e Quantos pensamentos passaram pela sua cabeça enquanto dava esses pontos.
E no final um belissimo texto e logico inspirado pela Clarice.
Vc é demais!!!
Sem contar a cara do ursinho de pelucia, achando que vc é louca.

Leandro Neres disse...

"Sem contar a cara do ursinho de pelucia, achando que vc é louca."

(kkkkkkkkkk) *altas gargalhadas por aqui, ótimo comentário do Amigão hahaha

Lorena disse...

"Sem contar a cara do ursinho de pelucia, achando que vc é louca."

hahahahahahahahahahaha!!!
Ele é assim memso, sempre me reprovando... E olha que é meu queridinho! =P

beijos!

Poesia! disse...

olá!
sou adm. do O Fogo Anda Comigo (thefirewalkswithme.blogspot.com)
e gostaria de ser um parceiro seu...
abraços!

o alquimista disse...

Diz ser um anjo na Terra, os olhos do Deus Bendito, deixado neste pequeno mundo por outro Anjo de olhar aflito. Apareceu como por encanto, nasceu do nada, terá nascido!?


Solenes são os sentires de um Mago


Virão ventos de bonança ao teu coração


Um suave beijo

Agda Gabriel disse...

Deus me permitisse que nos meus momentos de falta de inspiração eu escrevesse ou tricotasse como vc!
O tricô seria um consolo...Mas como nem tenho habilidades manuais a não ser digitar, fico perdida sem saber o que fazer nesse momentos! Por isso o Pintura anda tão caidinho! Ta me faltando inspiração!
Deixei um presentinho pra vc lá em casa e ve se não some de novo! Sem vc aqui tudo fica mais triste!
Beijocas pra minha linda LORENA QUE ATÉ NA FALTA DE INSPIRAÇÃO ESCREVE COM MAESTRIA!
AGDAFELIZCOMSUAVOLTA! bjs!

Juliana Freitas disse...

Texto magistral... queria ter escrito isso! =P

Éverton Vidal disse...

"Sem contar a cara do ursinho de pelucia, achando que vc é louca."

kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Mas nao é que há muitas semelhanças entre escrever e tricotar? Quando tou cansado de escrever, por exemplo, agora... (andei lendo uns textos meus e sei lah, cansei um pouco de me ler rs), mas entao, quando estou cansado de me ler eu pinto, ou toco um violao...

Juliana Freitas disse...

Colocando este post em um meme:

"Visitei Seu Blog e Gostei"


beijo, gatona!

Anônimo disse...

Obrigado por intiresnuyu iformatsiyu