sábado, 25 de outubro de 2008

Utopia

we would share and listen and support and welcome be propelled by passion not
invest in outcomes we would breathe and be charmed and amused by difference
be gentle and make room for every emotion(...)
This is my utopia.*

(Utopia - Alanis Morissette)

Ontem eu assisti o filme Hair, sabe, aquele sobre hippies, amor livre, drogas, guerra do Vietnã, sonhos de uma nova era. Eu nem era nascida na época que isso tudo aconteceu, mas sinto hoje ainda ecos daquele sonho. Penso nessa nova era, um novo mundo, onde os estados não existiriam e os povos seriam unidos pelos sentimentos. É utopia pura, eu sei, um sonho no qual acredito desacreditando... Acredito para ter esperanças, porque se a maioria lutasse por um mundo assim talvez ele chegasse perto de existir, talvez esse aqui que já existe fosse um lugar melhor pra se viver. Não prego forma de governo, nem vida após a morte, não acredito que existe uma recompensa no final do arco-íris para os sofrimentos de hoje. Acredito que a gente colhe o que planta aqui; que o Reino dos céus começa na Terra; que a Nova Era foi ontem, hoje e será sempre no coração de quem acredita nela. E que todos nós somos capazes de mudar o que quer que seja, se quisermos isso de fato.

Grande utopia, mas se eu vivo de sonhos?


--------------------

*Tradução: nós dividiríamos e ouviríamos e apoiaríamos e acolheríamos e seríamos arrastados pela paixão, não investiríamos em resultados, nós respiraríamos e seriamos encantadores e apreciaríamos a diferença, seríamos gentis e aceitaríamos todas as emoções. (...) Essa é minha utopia.

10 comentários:

Bruno Vox disse...

Eu, antes de perceber que não poderia mudar o que estava em minha volta, bati muita cabeça, a uns dois ou três anos atrás eu era um radical, pregava o certo(o meu certo), sonhava com um mundo, pessoas e igreja melhores e vivia na esperança de um amor.

Hoje vejo que isso era utopia, até hoje estou a prendendo a viver nesse mundo de "caos", o meu mundo.

Urbano Leonel Sant' Anna disse...

Oi, querida maninha Lorena!

Este é um dos filmes que eu mais gosto. Milos Forman foi genial ao transpor para as telas esta peça da Broadway de inegável sucesso. Adoro o filme, adoro a trilha, adoro a idéia, adoro a utopia por trás de tudo!

Infelizmente a nossa rebeldia comportada (nossa inclui a mim) nos dias de hoje tem ajudado pouco ou quase nada para a transformação da sociedade e esta utopia parece cada vez mais longe. Só o que posso fazer é transmitir os valores em que acredito aos meus filhos e, mais recentemente, para quem tiver interesse, através do meu blog.

Beijão!

Urbano

Letícia disse...

Hair e o mundo utópico da Alanis. Gosto de tudo isso. Acredito que o filme, mesmo sendo um clássico, é meio utópico demais. Mas assisto e canto Age of Aquarius. Sou uma hippie do agora. E sim, como o John Lennon, queria muito um mundo de igualdade e nada de dividir tudo em lucros e dividendos. Sigo sonhando.

Adorei a postagem.
Me levantou o astral.

Bjs, Lorena.

Francine Esqueda disse...

Lorena tbm é cultura!!!
Fica aqui a dica! Vou procurar para assistir!!!
Obrigada pela leitura!
Beijos e bom domingo!

Camila disse...

Eu não assiti a esse filme, mas você me deixou com uma vontade incrível de assistir.

Sabe, eu também tenho minha utopias. Na verdade, acho que nem gosto dessa palavra, ela é tão inatingível. Prefiro mesmo 'sonhos' porque esses sim podem ser tornar concretos, mesmo que pra isso eu precise não acordar.

Linda reflexão, Lorena!

Beijinhos!

Péricles Carvalho disse...

Hair - eia aí um filme legal pra captar a essencia dos sessentistas. Mas sabe que depois de ler '1968 - o que fizeram de nós' do Zuenir Ventura, eu mudei um pouco minhas concepções. Indagando Caetano Veloso sobre o que ele tem mais saudade daquela época, ele disse que sente falta apenas da idade!

acredito perfeitamente que cada época guarda sua utopia, guarda suas cracterísticas mais loucas, e Hair me mostra isso.

Acreditar em um mundo melhor, construído sem guerras é um sonho sim. Eles clamavam por paz, e hoje continuamos gritando por isso tb. Talvez a simples existencia de blogs possa ser uma manifestação do nosso tempo...

hoje, creio que a utopia é pensa num mundo de igualdade social, sem fome e sem ganancia, sem esse individualismo. eu gosto de ser utópico, ainda que as vezes possa parecer meio bobo. Viemos do final do século XX, chamado de extremo, marcado pela barbárie, e parece que podemos ver muita coisa se repetindo!

obs: adoro alanis;)

Leandro Neres disse...

Eu realmente preciso ver este filme novamente... Eu acredito nesta utopia-esperança que nos leva a transformar o agora... E sua forma de expressar as coisas é sempre tocante, gosto muito da motivação que você nos dá, desse despertar...
Bjs
Leandro

Su disse...

Esse filme é realmente incrível!!!!
Acho que vou assistir de novo?!!
Isso boooa idéia!!!
Beijão, Flor!!

Vidal disse...

Haha Passei só pra bizonhar mas daí vi o nome "Hair" e resolvi comentar rapidin. Nao aguentei ver Hair até o final rsrsrs. A Cris adora esse filme kkk. Acho que preciso ver até o final um dia, já que me sinto parte daquele mundo...

Mundo de Hendrix e paz e amor... utopia? Quero ela pra viver!

Bj!

Amigao disse...

Foi uma época boa, época em que éramos livres e desejávamos um mundo melhor.
Pena que irresponsáveis que éramos usamos drogas demais e praticamos sexo descuidadamente.
E pagamos o preço.
O sonho permanece mas "meus heróis morreram de over dose, meus inimigos estão no poder."

Beijão do amigão