domingo, 30 de março de 2008

Planeta Sustentável.

Hoje procurando sites sobre seqüestro de carbono, para um trabalho da universidade, me deparei com o site Planeta Sustentável, da Abril. Gostei tanto dele que resolvi recomendar aqui, e também usar o selo deles aqui no blog (logo ali, abaixo, no cantinho direito).

Nas férias de Dezembro eu comprei a revista Superinteressante verde, não sei se vocês chegaram a vê-la nas bancas. Ela trazia diversas reportagens sobre meio ambiente, desenvolvimento sustentável, aquecimento global, e tudo isso que está na moda se discutir, e se Deus quiser as discussões vão dar resultados práticos. Pois eu achei um artigo no site, muito interessante, que saiu nessa Super também, sobre o lixo que desce pelo ralo... então como incentivo para que vocês visitem e explorem o site, eis o artigo sobre o que jogamos ralo a baixo:

E o ralo levou...

A infinidade de coisas jogadas nos ralos é um problema sério - e um dos maiores vilões é o fio dental

Por André Mugiatti

A falta de cuidados com o ambiente pode se voltar contra você. Essa afirmação pode parecer meio batica, mas é ainda mais verdadeira quando consideramos a infinidade de coisas que são jogadas nos ralos das pias.
Tem gente que não pensa duas vezes antes de atirar no ralo cotonetes, restos de comida ou a poeira varrida da casa. Com o tempo, essas coisas se transformam em obstruções nos encanamentos que podem provocar graves entupimentos na rede de esgotos ou em casa.

No centro expandido de São Paulo, a Sabesp realiza cerca de 2 mil desentupimentos por mês. Isso acontece porque as redes de coleta e tratamento de esgoto têm tubulações mais estreitas que as galerias pluviais, nas ruas. Por isso, entopem com mais facilidade quando se acumulam restos de comida ou objetos no seu interior.

Um dos principais vilões que descem pelos ralos é o fio dental. Fabricado com materiais cada vez mais resistentes, seu acúmulo acaba formando uma rede que prende outros materiais, obstruindo as tubulações. O excesso de produtos químicos de limpeza é outro problema freqüente, pois pode prejudicar o próprio sistema de tratamento dos esgotos, tornando-o ineficiente.

Nos locais onde não há tratamento de esgoto o descarte inadequado de produtos pelo ralo costuma agredir diretamente o ambiente. Isso porque os dejetos acabam sendo lançados nos rios, córregos e no mar, na maioria das vezes causando mau cheiro e a morte de animais e plantas.


NO BANHEIRO
Aquele fio dental que displicentemente você deixa cair no ralo da pia vem se tornando um grave transtorno para os esgotos de todo o mundo. Eles acabam ficando presos na rede de tubulações, onde, acumulados, formam uma teia que prende outros tipos de lixo.
Resultado: entupimentos e transbordamentos na rua e dentro das casas, além de mais dificuldade para o tratamento dos resíduos. Outros produtos também costumam ser lançados no ralo ou no vaso sanitário. Entre eles estão fraldas descartáveis, absorventes, pontas de cigarro, cotonetes e preservativos.
E, por favor, retire os fios de cabelo dos ralos do chuveiro e da pia. Eles também são um verdadeiro enrosco.

NA COZINHA
De acordo com a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), 1 litro de óleo é responsável pela poluição de 1 milhão de litros de água.
A companhia estima que uma família gera 1,5 litro de óleo de cozinha por mês. Os sistemas de tratamento de esgotos não são projetados para cuidar do óleo, e sim da sujeira que deveria estar no esgoto.
O óleo volta aos rios, por ser mais leve, fica na superfície, impedindo a oxigenação das águas e causando a morte de microorganismos e peixes. O que fazer então com o óleo? Reserve o óleo em garrafas pet e, quando tiver acumulado alguns litros, entregue-o a centros de coleta, que depois o usarão para fazer sabão. Consulte a prefeitura ou a empresa de sanemento básico da sua cidade para saber se esse serviço está disponível.

NA ÁREA DE SERVIÇO
Pequenas peças de roupa, como meias ou lenços, acabam indo pelo ralo abaixo. Nesse caso, a solução é simples: colocar uma grade de proteção no ralo. Outro problema comum na área de serviço é o descarte de produtos tóxicos no tanque. O mais comum é a água sanitária, que deve ser usada sem abusos, pois tem grande potencial de poluir o ambiente.
Pode ser substituída na limpeza da casa por misturas com bicarbonato de sódio, vinagre e suco de limão. Produtos de limpeza devem ser utilizados de acordo com a indicação do fabricante, com o consumo de todo o conteúdo das embalagens, sem despejá-los diretamente na pia. O uso de venenos e inseticidas deve ser evitado.

NO QUINTAL
Aqui, uma complicação freqüente para os esgotos é a própria água da chuva. Algumas pessoas conectam a descarga das calhas à rede de esgotos, que, ao contrário da rede de águas pluviais, não está preparada para receber o excesso de água. O resultado é o transbordamento dos esgotos nas ruas e até mesmo o refluxo pelos ralos.
A sujeira varrida de toda a casa deve ser recolhida com uma pá e jogada no lixo. Não jogue a poeira no ralo, pois aí ela tende a se acumular na parte de baixo dos encanamentos, vindo a provocar entupimentos. Também deve-se evitar que folhas e galhos caiam nos ralos.

Revista Superinteressante - 12/2007

5 comentários:

Lyra disse...

Super interessante MESMO!

;O)

Éverton Vidal disse...

Meu professor de parasitologia nos alertou sobre o perigo da água. Todo mendicamento, todo tóxico, todos os residuos de metais que lançamos nela todos os dias, mesmo depois de tratada ainda permanecem em quantidades ínfimas mas que com o tempo tornam-se perigosas.

Nossa água está cheia de hormônios, medicamentos etc... E eles sao-podem-ser a causa de muitas enfermidades e problemas congénitos.

Gstei do texto é importante alertar sobre isso. Dos blogs que leio este é o único que gasta uma boa parcela de espaço-tempo falando sobre isso.

Parabéns Lorena.

Inté!

Adriano Caroso disse...

Muito legal sua iniciativa. Eu, por minha vez, tenho feito a minha parte, mas nunca é demais tentar conscientizar outras pessoas. Vou visitar o site que você sugere. Beijos!

L.Neres disse...

Nossa, interessante as propostas, como no caso da agua sanitária, nunca tinha pensado nisso, e olha que eu uso ela meio que "sem dó", tsc tsc... E o óleo, essa deu medo mesmo... Me senti culpado, rsss...
Valeu Loli, acho que é muito importante trazer estas coisas pra gente!
Abs
Leandro

Éverton Vidal disse...

Lorena passa no blog do Amigao, na última feijoada dele, que ele citou "os sonhos da Lorena" por lá rs.

Bj.
Inté!