terça-feira, 21 de julho de 2009

Boletim Ocasional #1 e algo mais.

Como disse que passaria por aqui, quando em vez, pra dizer o que ia acontecendo nas minhas férias, cá estou eu. É que antes de hoje as informações eram tão irrelevantes que não tinha porque eu gastar um espaço do blog pra comentar sobre elas. Ninguém ia querer saber que passo os meus dias entre ver TV (pela manhã, já que à noite é hora de novela e aqui eu estou no meio de uma turma de noveleiros; eu estou fora dessa!), ler, passear pela rede atrás de coisas interessantes, ver episódios repetidos de seriados antigos e resolver pendengas no comércio e nos bancos. Férias improdutivas mode on.

Mas esse fim de semana foi diferente. Estive em Salvador e aproveitei um dia das minhas férias como uma verdadeira turista a passeio, sem me preocupar com nada a não ser o roteiro de viagem.

Baiana do Pelourinho

Adorei tudo. Fui ao Pelourinho, andei de Elevador Lacerda (pela primeira vez, já que das outras vezes papai não permitiu), fui ao Mercado Modelo, Igreja do Bonfim, passeei por vários outros pontos turísticos sem sair do carro e tentei capturar tudo com a câmera e com os olhos. E guardei tudinho no coração, com muita ternura, porque gostei demais do meu passeio. Há 11 anos não ia a Salvador. Sempre gostei de lá e só confirmei minhas antigas impressões, de que a cidade é uma delícia pra quem visita, o povo é lindo e acolhedor (apesar das extorsões monetárias) e eu voltarei mais vezes, porque ficou muito ainda por ver e apreciar e conhecer. Volto como turista muitas vezes, mas não volto para morar, disso eu tenho certeza.

Morei na Bahia dos meus 9 aos 17 anos, praticamente cresci aqui e ainda volto pra cá em todas as férias, porque meus pais ainda moram aqui, no Sul da Bahia. Não posso dizer que não sinto saudades; eu sinto sim. Principalmente dos pais e dos amigos que eu fiz, sinto saudade do calor do povo e das praias (nasci na beira do mar, literalmente, então ele me faz falta lá em Minas). Mas não sou daqui... Não me sinto parte de tudo isso que é a Bahia. Por isso, não tenho vontade e não pretendo voltar. Por incrível que pareça, mesmo estando em Viçosa há menos de seis anos, me sinto mais mineira do que jamais me senti baiana. Toda vez que eu volto, sinto a mesma coisa: angústia. Vejo quanta coisa poderia ser feita nesse estado, vejo as mesmas pessoas sempre no poder e vejo o povo morrendo, o povo sofrendo, sobrevivendo... E votando nas mesmas pessoas eternamente. Aqui não tem educação de qualidade, saúde de qualidade, saneamento básico (e quando digo básico, é bem básico mesmo), e enquanto isso a gente vê as maiores festas, micaretas e Carnaval do Brasil... Que contraste! E o povo é feliz, é sim. Apesar de tudo, não existe cara feia nem resposta atravessada nas ruas. O baiano é o povo mais carismático e acolhedor que eu já conheci. Te conhecem hoje e amanhã te oferecem abrigo, comida na mesa e um ótimo papo, sempre. O povo é lindo, mas é incrivelmente dependente de figurões que se julgam espertos por passar a perna em quem conseguirem. E a política baiana vive num eterno lamaçal.

Crianças de Salvador

Eu não entendo de política; eu entendo do que eu vejo e do que eu sinto. Isso me basta para saber. E eu sei que queria ver as coisas diferentes, um dia. Queria ver as pessoas deixando os "padrinhos" coronéis, que compram os votos com dentadura e cesta básica, e tentando tomar o rumo da situação por conta própria. Que houvesse educação de qualidade para ensinar a nova geração a não depender tanto das esmolas das figurinhas repetidas do poder (só a nova geração é capaz, porque vejo gente estudada e de grande poder econômico chamar ACM de "dádiva da Bahia", e isso me deixa enjoada e confusa). Queria que as prioridades voltassem a ser prioridades; que os milhões que o prefeito gasta com festa ele pudesse investir nos hospitais, porque crianças morrem todos os dias por falta de cuidado e ninguém fica sabendo. E que as pessoas aplaudissem atitudes assim, e não a política do "pão e circo" que reina aqui desde sempre.

Aí vejo os baianos famosos, aqueles que ganham milhões na indústria do entretenimento e nada fazem de concreto pelo estado, irem na TV e baterem no peito "tenho orgulho de ser baiano, a Bahia é linda"... Parem de olhar na direção do litoral e adentrem um pouco o estado de vocês. Coloquem a mão na consciência e percebam que não existe nada de lindo no que acontece com o povo, o nível de deteriorização das cidades menores e da vergonha política que é isso aqui. Se baiana eu fosse, não teria coragem de fechar os olhos para tudo que ainda precisa ser feito e fingir que está tudo muito bem. Mas eu não sou. E por mais que isso soe cruel (e é mesmo), eu pretendo um dia voltar só como turista, com meus óculos cor-de-rosa, e enxergar a perfeição que se vende fora daqui. Mas enquanto minha família for de cidadãos baianos, me desculpem, mas essa falsa imagem de perfeição eu não compro.

----------

A todos os amigos que me desejeram felicidades ontem feliz Dia do Amigo atrasado! Feliz dia do amigo ao Amigão, à Du, à Su, à Lê, à Cami, à Vó Rô, à Kenia, ao Vidal, à Thai, à Nati, à Luca, à Carlinha, à Lívia, à Mari... e se eu esqueci de alguém, feliz dia do amigo pra você também! =)



11 comentários:

Kenia Cris disse...

Então você é baiana! Gente eu jurava que você fosse mineira, uai!!! Nunca estive na Bahia, Lorena, na verdade, nunca saí de Minas - papai nunca deixou. :P Acho que na verdade nunca tive muita vontade real de sair do pé da serra.

Engraçado você contar da rotina das férias, porque isso sempre acontece comigo: quando acho que vou ter férias maravilhosas longe de casa, acabo fazendo muito do que geralmente faria se tivesse ficado em casa mesmo! Rsrsrs... mas é sempre bom respirar outros ares, rever pessoas e visitar lugares legais.

Bom demais você ter aparecido com esse "Boletim Ocasional" porque assim mata um pouco a saudade da sua escrita.

Desejei feliz dia do amigo ontem aos meus amigos com a abertura de FRIENDS - I'll be there for you. Você está sempre nesse meio.

"I'll be there for you, when the rains starts to pour... I'll be there for you, 'cause you're there for me, too."

Beijo carinhoso, cuide-se e não nos mate de saudade. ;)

Amigao disse...

Bom dia linda,
Férias na Bahia, do jeito que você contou até deu vontade de ir também. Todos os meus amigos que foram voltam falando que a cidade é suja e sem infra-estrutua,mais ou menos isso que vc falou.E olha que vive do turismo né?

De qualquer maneira é sempre bom ler o que vc escreve e esta visão que você tem do mundo, este jeito de olhar as coisas, comovem bastante.

Beijão e bom restinho de férias pra você.

Luana! disse...

Eu fui à Bahia [salvador] uma vez. E uma vez bastou para eu me apaixonar.
Foi há muitos anos e o povo bonito, com sua cultura encantadora me fez planejar um dia poder morar lá.
Até tem o mestrado q eu sonho fazer, mas tu é bem certa qdo fala q é um local bom pra visitar.
Existem mesmo esses locais, q impactam negativamente qdo vivemos o seu cotidiano.
Acho até q é um problema comum das cidades turísticas. Elas são vendidas para turista "ver", mas os nativos não tem condições básicas para viverem do seu proprio produto.
Contrastante.
E ó: feliz dia do amigo atrasado.

xêroo

Su disse...

Ai ai.. que saudade de SSA!!
Lores não dá para acreditar que foi a sua primeira vez no Elevador Lacerda!!! É perfeito ver tudo de lá de cima!!! :D

Bom, e quanto a ACM é completamente confuso mesmo. Não dá para entender... mas isso é pouco da oligarquia baiana!! =S

Beijos e aproveeeeite!!!

Camila disse...

Lores, você falou da Bahia, mas poderia usar o mesmo texto pra falar aqui do meu Ceará (apesar de eu ser baiana também). Essa é uma doença crônica que acomete toda a região Nordeste. O século passou, mas os antigos (e ruins) costumes ficaram. Infelizmenente!

E eu também adoro Salvador, fiz todos esses passeios que você fez há uns 3 anos. A gente sai daí contagiada de tanta leveza, né? Mas Fortaleza também é uma cidade linda de pessoas lindas também. Você iria gostar daqui. O convite está feito, viu?

Beijos, linda Lores!

Éverton Vidal disse...

Lorena, eu vi as fotos no seu orkut. Você é uma ótima fotógrafa rs. E uma das fotos que mais gostei você trouxe pra cá, é essa das menininhas.

Meu avô é baiano e cabe dentro das características que você deus. É uma ótima pessoa, já deu abrigo pra muita gente mesmo, e nao é um bom votante rs (segundo eu penso).

Eu passei pela Bahia ano passado, mas foi rápido e só conheci algumas cidades do interior, a que mais gostei foi Juazeiro (que faz divisa com Petrolina).

É curioso que de uma certa forma os males da Bahia sao típicos em outros estados que conheci, inclusive no Amazonas. A coisa melhora um pouco no Sul e no Sudeste né.

Um dia quero conhecer Salvador, aquela foto tirada do elevador Lacerda é uma das coisas mais lindas que euvi nos últimos dias.

Bj.
Feliz dia do amigo na data boliviana rs.
Inté!

Du disse...

Lore, de qualquer forma, férias sensacionais, heim?
Eu nunca fui à Bahia, nem fui às Minas Gerais, mas compreendo esta questão dos contrastes e do que é vendido como turismo!
Eu senti um pouco disto quando conheci o RJ, favelas ao lado de Prédios luxuosos. A pobreza em contraste enorme com a riqueza.

Adorei conhecer um pouco de Salvador neste lindo post!

Beijos, queridona do meu coração!

On The Rocks disse...

assino embaixo. isso aqui não passa de uma fantasia!

tentei cair fora, mas não deu.

bj,

p.s: entrar em contato com o on the rocks não seria nada mal.

Marcos Pontes disse...

Olá, doutora. Vem sempre por aqui e só a vejo via net... Isso é que são tempos modernos.
Beijim.

Carlinha Abreu disse...

Tem gente que só se orgulha da música q faz, com tanta coisa acontecendo... :-(
Saudades dos teus posts. Que bom que está curtindo as férias. Também tô curtindo as minhas, indo à praia. Muito bom né morar perto da praia. Aliás, a viagem dos meus sonhos é percorrer o litoral nordestino de carro *sonho* rsrs
Ah, super atrasado, mas feliz dia do amigo pra ti!
Bjooooo

Mari disse...

É isso mesmo Lora!!! Bota moral!!!

(Só pra constar que de vez em quando eu passo por aqui de verdade. Adoro seu blog)

Beijos!